exclusão mei

Exclusão de MEI: impactos para fornecedores de condomínios e administradoras

A partir de setembro de 2023, os Microempreendedores Individuais (MEI) com pendências junto à Receita Federal do Brasil (RFB) e/ou à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) receberão um aviso importante: o Termo de Exclusão do Simples Nacional. Para quem presta serviços como fornecedor de condomínios ou atua no setor de administração condominial, essa notícia merece atenção especial.

Consequências da exclusão do simples nacional para fornecedores de condomínios

Quando um MEI é excluído do Simples Nacional, seu CNPJ permanece ativo, mas ele perde o benefício de recolher tributos em valores fixos. Isso significa que, como fornecedor de condomínios, você passará a seguir regras de apuração com base no lucro real ou presumido. Essa mudança pode afetar diretamente suas finanças e sua forma de conduzir os negócios com condomínios.

Impactos para administradoras de condomínios em casos de exclusão de MEI de seus fornecedores

As administradoras de condomínios que contratam MEIs para prestação de serviços também podem sentir os efeitos dessa exclusão. Se um fornecedor MEI não regularizar sua situação fiscal, as consequências podem se refletir nos serviços prestados aos condomínios.

A falta de regularidade fiscal de fornecedores pode levar à inaptidão do CNPJ, o que, por sua vez, pode afetar as operações da administradora.

Como a inaptidão do CNPJ pode afetar os fornecedores e administradoras

A inaptidão do CNPJ de um fornecedor de condomínios ou de uma administradora de condomínios pode desencadear uma série de problemas:

Emissão de notas fiscais e licenças impossibilitada: Sem um CNPJ ativo, a emissão de notas fiscais e a obtenção de licenças para operar podem se tornar impossíveis. Isso afetaria diretamente a continuidade dos serviços prestados.

Cancelamento de alvarás: O cancelamento de alvarás de funcionamento é outra consequência grave. Isso pode paralisar as operações e causar transtornos significativos.

Impacto nas finanças pessoais: As dívidas da empresa MEI podem recair sobre o próprio empreendedor, afetando seu CPF e tornando mais difícil a obtenção de empréstimos pessoais.

Benefícios de regularizar a situação do MEI

Felizmente, a regularização da situação do MEI é possível e traz diversos benefícios:

Permanência no Simples Nacional: Ao regularizar sua situação fiscal, o MEI pode manter seu status de MEI e continuar a recolher tributos em valores fixos.

Seguro no INSS: A regularização garante que o MEI continue segurado no INSS, o que é crucial para acesso a benefícios como auxílio-doença e aposentadoria.

Evitar cobranças judiciais: Regularizar a situação é uma forma eficaz de evitar processos judiciais relacionados a dívidas fiscais.

Facilitar financiamentos e abertura de contas empresariais: Com a situação regularizada, o MEI terá mais facilidade em obter financiamentos e abrir contas empresariais.

A exclusão MEI do Simples Nacional é um assunto que não pode ser negligenciado, especialmente para fornecedores de condomínios e empresas de administração condominial. A regularização é essencial para evitar problemas operacionais e financeiros. Portanto, é importante que MEIs nessa área busquem regularizar sua situação o mais rápido possível para continuar prestando serviços com eficiência e de acordo com a lei.

Se você é um MEI nesse setor e precisa de orientação sobre como regularizar sua situação fiscal, não hesite em procurar assistência profissional ou órgãos competentes. Para consultar pendências, acesse o site da Receita Federal.

Assine a Newsletter UnionData Gratuitamente

E fique por dentro do universo da gestão de condomínios e do mercado imobiliário. Receba no seu e-mail artigos, dicas e notícias que são do seu interesse!

13 + 10 =

Leia também…

Share This