Quando o assunto é inflação, o termo mais usado é o IPCA, que é o índice que mede qual foi a variação de preços dos produtos e alimentos no comércio. No entanto, existem outros como ele que afetam a vida diária de todos nós. E o IGP-M é um deles.

O IGP-M significa Índice Geral de Preços-Mercado e o seu aumento anda causando bastante preocupação. Ele mede a inflação em uma série de serviços e produtos específicos em todos os seus estágios de produção.

O índice é utilizado para o reajuste de algumas tarifas públicas, como a luz, por exemplo, e nos contratos de aluguel de imóveis. Isso quer dizer que se o IGP-M indicador está em alta, a probabilidade de que os aluguéis subam é grande. E é isso o que está acontecendo no momento.

Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o IGP-M variou 0,6% em junho de 2021. A alta acumulada é de 15,08% no ano e 35,75% nos últimos 12 meses.

Sendo assim, quem tem um contrato de aluguel que esteja próximo a fazer aniversário, pode se surpreender com um reajuste de quase 36%.

 

O que causou a alta do IGP-M?

 

O IGP-M é formado por três componentes que também mostraram aumento em 2020. Cada um tem um peso diferente em seu cálculo. Os componentes são:

 

 

 

    • Índice de Preços por Atacado-Mercado (IPA-M) – Seu peso é de 60%. Tem a ver com os preços de produtos agrícolas e industriais no atacado;

 

 

    • Índice de Preços ao Consumidor-Mercado (IPC-M) – Peso de 30%. Mede preços de serviços e bens que constituem as despesas rotineiras das famílias; e

 

 

    • Índice Nacional do Custo da Construção-Mercado (INCC-M) – Peso de 10%. Mede o valor de custos nas construções de imóveis.

 

 

 

Todos esses componentes impactaram no aumento do IGP-M, mas o IPA-M e o INCC-M foram importantes, por conta do aumento de preços das commodities (soja, arroz, carne etc.) e de equipamentos e materiais.

Além disso, a pandemia de coronavírus também teve um grande peso nisso tudo. Ela é a responsável pela disparada de preços das commodities nos mercados globais, com o aumento de demanda de vários países.

Soma-se a isso a alta do dólar, tornando a exportação bem mais vantajosa para produtores brasileiros. Com isso, aumentou-se os preços e diminuiu-se a oferta de produtos no Brasil.

 

O aluguel vai mesmo aumentar?

 

Tudo isso que foi mostrado nesse artigo mostra uma tendência de aumento de valores nos contratos de aluguel. No entanto, a alta do IGP-M está acontecendo durante uma retração da economia e de uma crise de emprego no país.

Com isso, o cenário leva a negociação. Nesse momento, o IGP-M está bem acima do IPCA, que nos últimos 12 meses registrou 8,06%. Esse resultado mostra que a alta do índice que regula os aluguéis aconteceu por fatores externos, e não necessariamente internos.

Por isso, o ideal para quem está com o contrato de aluguel prestes a fazer aniversário é contatar a imobiliária ou o proprietário do imóvel para negociar o reajuste.

Gostou desse artigo?Agora que você compreendeu como o IGP-M pode afetar o mercado de locação de imóveis, conheça as nossas soluções para corretores de imóveis.

O Front Imobilis é um sistema que ajuda o profissional a controlar a rotina completa de captação e divulgação de imóveis disponíveis para venda e locação. Entre em contato com um consultor da Union Data.

Abrir a conversa
Precisa de Ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?