portaria remota

Portaria remota: cuidados na adoção desta tecnologia

A portaria remota é uma solução econômica que vem ganhando popularidade em condomínios residenciais e comerciais. Ela oferece controle de acesso e monitoramento constante, porém esta tecnologia nem sempre é mais segura. Por isso, para garantir a segurança e o bom funcionamento do sistema, devemos nos atentar aos seguintes fatores:

Escolha do fornecedor: Opte por uma empresa confiável e com experiência comprovada na implantação e operação de sistemas de portaria remota. Pesquise sobre sua reputação, verifique se ela segue as normas de segurança adequadas e se oferece suporte técnico eficiente.

Infraestrutura adequada: Certifique-se de que o condomínio tenha uma infraestrutura de comunicação adequada para suportar a portaria remota. Isso inclui uma conexão de internet estável e de qualidade, bem como equipamentos de rede adequados para garantir a transmissão de dados.

Backup de energia: É fundamental ter um sistema de backup de energia, como geradores ou nobreaks, para garantir o funcionamento contínuo da portaria remota em caso de falta de energia elétrica. Dessa forma, o acesso não será comprometido durante quedas de energia.

Redundância de comunicação: Estabeleça uma redundância de comunicação para o sistema de portaria remota. Isso significa ter uma segunda opção de conexão de internet, como fibra óptica e conexão móvel, para evitar interrupções caso a conexão principal falhe.

Treinamento dos usuários: Garanta que os moradores, funcionários e visitantes estejam devidamente instruídos sobre o funcionamento da portaria remota e os procedimentos corretos para acessar o prédio. Isso inclui orientações sobre identificação, uso de aplicativos ou interfone e comportamento adequado durante o processo de entrada.

Privacidade e proteção de dados: Certifique-se de que a empresa fornecedora do sistema adote medidas de segurança adequadas para proteger os dados dos usuários e garantir a privacidade. Verifique se há criptografia dos dados transmitidos e armazenados, além de estar em conformidade com a legislação de proteção de dados vigente.

Manutenção regular: Realize manutenções preventivas e verifique regularmente o funcionamento dos equipamentos, como câmeras, interfones e fechaduras eletrônicas. Isso ajudará a garantir que o sistema esteja em pleno funcionamento e evitará problemas inesperados.

Ao seguir esses cuidados, você estará ajudando a garantir que a adoção da tecnologia de portaria remota seja eficiente, segura e atenda às necessidades do condomínio.

Mas, afinal, qual modelo de portaria é mais eficiente?

A adoção de portaria remota em condomínios tem, de fato, se tornado uma tendência crescente nos últimos anos. Vamos comparar o modelo convencional de portaria com a portaria remota, levando em consideração seus prós e contras, bem como os custos associados a cada um.

Portaria Convencional:

A portaria convencional envolve a presença física de um porteiro na entrada do condomínio. Alguns dos prós e contras desse modelo são:

Prós:

1. Atendimento pessoal: A presença de um porteiro físico oferece um atendimento pessoal aos moradores e visitantes, o que pode ser considerado mais acolhedor e humanizado.

2. Resolução imediata de problemas: O porteiro está presente para resolver problemas e lidar com situações de emergência de forma imediata.

3. Controle direto de acesso: O porteiro pode verificar a identidade dos visitantes, controlar o acesso de pessoas não autorizadas e monitorar o fluxo de entrada e saída.

Contras:

1. Custo mais elevado: O modelo convencional de portaria requer a contratação de um porteiro em tempo integral ou parcial, o que pode gerar custos significativos para o condomínio.

2. Limitações de horário: Dependendo do horário de trabalho do porteiro, pode haver períodos em que a portaria fica desatendida, comprometendo a segurança.

3. Vulnerabilidades: A presença física do porteiro também pode representar um ponto de vulnerabilidade, como riscos à sua integridade física e possibilidade de suborno.

Portaria Remota:

A portaria remota é um sistema em que a entrada do condomínio é controlada remotamente por uma central de monitoramento. Alguns dos prós e contras desse modelo são:

Prós:

1. Redução de custos: A portaria remota pode ser mais econômica, pois elimina a necessidade de contratação de um porteiro físico em tempo integral.

2. Monitoramento 24 horas: A central de monitoramento pode oferecer vigilância contínua, garantindo a segurança do condomínio em todos os momentos.

3. Tecnologia avançada: A portaria remota pode utilizar recursos tecnológicos, como câmeras, biometria e sistemas de controle de acesso mais sofisticados.

Contras:

1. Falta de atendimento pessoal: A ausência de um porteiro físico pode ser percebida como menos acolhedora pelos moradores e visitantes.

2. Dependência de tecnologia: A portaria remota requer um sistema confiável de monitoramento e acesso, que pode falhar ou ser alvo de ataques cibernéticos.

3. Dificuldade na resolução imediata de problemas: Em situações de emergência, a resposta pode ser mais lenta, pois a comunicação ocorre de forma remota.

Custos:

Os custos associados a cada modelo podem variar dependendo de vários fatores, como o tamanho do condomínio, a localização e os recursos tecnológicos envolvidos. No geral, a portaria convencional tende a ser mais dispendiosa devido à necessidade de contratar e manter um porteiro em tempo integral. Por outro lado, a portaria remota pode exigir um investimento inicial maior para a instalação do sistema de monitoramento e controle de acesso, mas, a longo prazo, pode resultar em economias significativas devido à redução dos custos de mão de obra.

Além disso, a portaria remota também pode oferecer opções de personalização, onde o condomínio pode escolher os recursos tecnológicos e níveis de serviço de acordo com suas necessidades e orçamento. Isso significa que os custos podem variar dependendo das escolhas específicas feitas pelo condomínio.

É importante ressaltar que, ao considerar os custos, é necessário avaliar tanto os custos iniciais quanto os custos operacionais a longo prazo. Por exemplo, na portaria convencional, além dos salários do porteiro, também devem ser considerados os encargos trabalhistas, treinamentos e possíveis substituições em caso de férias ou licenças.

Por outro lado, na portaria remota, os custos iniciais incluem a instalação dos equipamentos de segurança, como câmeras e sistemas de controle de acesso, bem como a contratação de uma empresa de monitoramento. Os custos operacionais podem estar relacionados à manutenção e atualização dos sistemas, assim como eventuais despesas com suporte técnico.

Em resumo, a adoção da portaria remota em condomínios oferece vantagens significativas em termos de redução de custos e uso de tecnologia avançada de segurança. No entanto, é importante considerar as preferências dos moradores em relação ao atendimento pessoal e avaliar cuidadosamente os custos envolvidos, tanto iniciais quanto operacionais, para tomar uma decisão informada sobre qual modelo é mais adequado para o condomínio em questão.

Assine a Newsletter UnionData Gratuitamente

E fique por dentro do universo da gestão de condomínios e do mercado imobiliário. Receba no seu e-mail artigos, dicas e notícias que são do seu interesse!

14 + 12 =

Leia também…

Share This